O exercício do cuidado: desdobramentos entre o sujeito e o outro

  • Bibiana Altenbernd Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Cristiano Dal Forno
  • Roberta Araujo Monteiro Goelzer
  • Mônica Medeiros Kother Macedo

Abstract

O artigo apresenta uma sessão sobre o trabalho de profissionais de saúde no contexto hospitalar de urgência e emergência. Inicialmente, delineiam-se elementos constituintes de um cenário laboral permeado por intensidades de pedidos de informação de forma mais avançada o sujeito é, continuamente, convocar uma conta de demanda de cuidado ao outro. Abordam-se como sis- tema ligado as práticas e problemáticas que extrapola uma técnica de formação imprescindível no contexto de trabalho. Nesse sentido, assevera-se uma pertinência das concepções psicanalíticas que evidenciam e fundamentam a importância do cuidado ao cuidador. Depreende-se, assim, o da da sobre os sobre os aspectos implicados, a partir de uma perspectiva das condições subjetivas,

References

Alves, M., Rocha, T. B., Ribeiro, H. C. T. C., Gomes, G. G., & Brito, M. J. M. (2013). Particularidades do trabalho do enfermeiro no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Belo Horizonte. Texto e Contexto Enfermagem, 22(1), 208-15. doi: 10.1590/S0104-07072013000100025

Autor (2015).

Avelar, V. L. L. M., & Paiva, K. C. M. (2010). Configuração identitária de enfermeiros de um serviço de atendimento móvel de urgência. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(6), 1010-1018. doi: 10.1590/S0034-71672010000600022

Baldo, M. A. (2011). A experiência do técnico de enfermagem em UTI: aportes psicanalíticos sobre o cuidado e a dor (Dissertação de Mestrado não publicada). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Bittencourt, J. R., & Hortale, V. A. (2009). Intervenções para solucionar a superlotação nos serviços de emergência hospitalar: uma revisão sistemática. Cadernos de Saúde Pública, 25(7), 1439-1454. doi: 10.1590/S0102-311X2009000700002

Brasil - Casa Civil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm.

Brasil - Casa Civil (1990). Lei nº 8080, de 19 de setembro de 1990. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.

Brasil - Ministério da Saúde. (2006). Política nacional de atenção às urgências. Brasília: Editora do Ministério da Saúde.

CFM, Conselho Federal de Medicina (1995). Resolução nº 1451/95, do dia 10 de março de São Paulo. Recuperado de: http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/cfm/1995/1451_1995.htm.

COFEN, Conselho Federal de Enfermagem. (1986). Lei de no 7.498, de 25 de junho de 1986. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7498.htm.

COFEN, Conselho Federal de Enfermagem. (2009). Resolução 358. Recuperado de: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html.

Costa, A. (2009). A fábula de Higino em Ser e tempo: das relações entre cuidado, mortalidade e angústia. In M. S. Maia (Org.), Por uma Ética do Cuidado (pp. 29-51). Rio de Janeiro: Garamond.

Dal Pai, D., & Lautert, L. (2008). O trabalho em urgência e emergência e a relação com a saúde das profissionais de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 16(3). doi: 10.1590/S0104-11692008000300017

Dal Pai, D., & Lautert, L. (2009). Estratégias de enfrentamento do adoecimento: um estudo sobre o trabalho da enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem, 22(1), 60-65.

Dallari, S. G., Pittelli, S. M., Moraes, S., Pirotta, W. R., & Oliveira, M. L. (2001). Atendimento médico de urgência na grande São Paulo. Saúde e Sociedade, 10(2), 75-99.

Dejours, C. (2011). Entre sofrimento e reapropriação: o sentido do trabalho. In S. Lancman, & L. Sznelwar (Orgs.), Christophe Dejours: Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho (pp. 433-448). Brasília: Paralelo 15/ Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Dejours, C. (2012a). Trabalho Vivo – Tomo I - Sexualidade e trabalho. Brasília: Paralelo 15.

Dejours, C. (2012b). Trabalho Vivo – Tomo II - Trabalho e emancipação. Brasília: Paralelo 15.

Elias, E. A., Souza, I. E. O., & Vieira, L. B. (2014). Significados do cuidado-de-si-mesmas de mulheres profissionais de enfermagem em uma unidade de pronto atendimento. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 18(3), 415-420. doi: 10.5935/1414-8145.20140059

Figueiredo, L. C. (2007). A metapsicologia do cuidado. Psychê, 21, 13-30.

Fulgêncio, L. (2014). Aspectos diferenciais da noção de ego e de self na obra de Winnicott. Estilos Clínicos, 19(1), 183-198.

Garlet, E. R., Lima, M. A. D. S, Santos, J. L. G., & Marques, G. Q. (2009b). Organização do trabalho de uma equipe de saúde no atendimento ao usuário em situações de urgência e emergência. Texto e Contexto Enfermagem, 18(2), 266-72. doi: 10.1590/S0104-07072009000200009

Garlet, E. R., Lima, M. A. D. S., Santos, J. L. G., & Marques, G. Q. (2009a). Finalidade do trabalho em urgências e emergências: concepções de profissionais. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 17(4).

Greco, R. M. (2004). Relato de Experiência: ensinando a Administração em Enfermagem através da Educação em Saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(4), 504-507. doi:10.1590/S0034-71672004000400026.

Kegler, P. (2011). A travessia do si mesmo na passagem para a reserva: enlaces entre trabalho e narcisismo (Dissertação de mestrado não publicada). Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Kogien, M., & Cedaro, J. J. (2014). Pronto-socorro público: impactos psicossociais no domínio físico da qualidade de vida de profissionais de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 22(1), 1-8. doi: 10.1590/0104-1169.3171.2387

Kóvacs, M. J. (2010). Sofrimento da equipe de saúde no contexto hospitalar: cuidando do cuidador profissional. O Mundo da Saúde, 34(4), 420-429.

Levcovitz, E., Lima, L. D., & Machado, C. V. (2001). Política de saúde nos anos 90: relações intergovernamentais e o papel das Normas Operacionais Básicas. Ciência & Saúde Coletiva, 6(2), 269-291.

Lima, E. P. & Assunção, A. A. (2011). Prevalência e fatores associados ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em profissionais de emergência: uma revisão sistemática da literatura. Revista Brasileira de Epidemiologia, 14(2), 217-230. doi: 10.1590/S1415-790X2011000200004

Maria, M. A., Quadros, F. A. A., & Grassi, M. F. O. (2012). Sistematização da assistência de enfermagem em serviços de urgência e emergência: viabilidade de implantação. Revista Brasileira de Enfermagem, 65(2), 297-303.

Martins, P. F., Sobrinho, C. L. N., Silva, M. V., Pereira, N. B., Gonçalves, C. M., Rebouças, B. S., & Cartaxo, L. A. (2009).

Afastamento por doença entre trabalhadores de saúde em um hospital público do estado da Bahia. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 34(120), 172-178.

Mello, D. F., & Lima, R. A. G. (2010). O cuidado de Enfermagem e a abordagem winnicottiana. Texto e Contexto Enfermagem, 19(3), 563-569. doi:10.1590/S0104-07072010000300019

Mendes, A. C. G., Araújo Júnior, J. L. A. C., Furtado, B. M. A. S. M., Duarte, P. O., Silva, A. L. A., & Miranda, G. M. D. (2013).

Condições e motivações para o trabalho de enfermeiros e médicos em serviços de emergência de alta complexidade. Revista Brasileira de Enfermagem, 66(2), 161-166. doi: 10.1590/S0034-71672013000200002

Montezelli, J. H., Peres, A. M., & Bernardino, E. (2011). Demandas institucionais e de cuidado no gerenciamento de enfermeiros em um pronto socorro. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(2), 348-354. doi: 10.1590/S0034-71672011000200020

Pereira, D. S., Araújo, T. S. S. L., Gois, F. L., Gois Júnior, J. P., Rodriguez, E. O. L., & Santos, V. (2013). Estressores laborais entre enfermeiros que trabalham em unidades de urgência e emergência. Revista Gaúcha de Enfermagem, 34 (4), 55-61. doi: 10.1590/1983-1447.2014.01.39824

Rossi, L., Gavião, A. C. D., Lucia, M. C. S., & Awada, S. B. (2004). Psicologia e Emergências Médicas: uma aproximação possível. Psicologia Hospitalar (São Paulo), 2(2).

Sá, M. C., Carreteiro, T. C., & Fernandes, M. I. A. (2008). Limites do cuidado: representações e processos inconscientes sobre a população na porta de entrada de um hospital de emergência. Cadernos de Saúde Pública, 24(6), 1334-1343. doi: 10.1590/S0102-311X2008000600014

Santos, J. L. G, Lima, M. A. D. S., Pestana, A. L., Garlet, E. R., & Erdmann, A. L. (2013). Desafios para a gerência do cuidado em emergência na perspectiva de enfermeiros. Acta Paulista de Enfermagem, 26(2), 136-143.

Santos, J. L. G., & Lima, M. A. D. S. (2011). Gerenciamento do cuidado: ações dos enfermeiros em um serviço hospitalar de emergência. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(4), 695-702.

Viola, Dan Carai Maia, Cordioli, Eduardo, Pedrotti, Carlos Henrique Sartorato, Iervolino, Mauro, Bastos Neto, Antonio da Silva, Almeida, Luis Roberto Natel de, Neves, Henrique Sutton de Sousa, & Lottenberg, Claudio Luiz. (2014). Unidades avançadas: medidas de qualidade no atendimento de urgência e emergência. Einstein (São Paulo), 12(4), 492-498. doi: 10.1590/S1679-45082014GS2894

Winnicott, D.W. (1975). O Brincar e a Realidade. Rio de Janeiro: Imago.

Winnicott, D.W. (1983). O Ambiente e os Processos de Maturação. Porto Alegre: Artmed.

Published
2018-12-21